Waro mãdö: como vivem os warazu

Waro mãdö significa em a’uwẽ mreme (língua xavante): como eu vejo.

Pontal Sereuwazaowe Xavante é um jovem estudante indígena que está realizando um intercâmbio de duração de 2 meses em São Paulo. Interessado em prestar vestibular, veio conhecer a FCT/UNESP para saber como funciona uma universidade. Também tinha o objetivo de aprimorar seu domínio sobre a língua portuguesa e conhecer como os warazu vivem. Warazu é termo utilizado pelos A’uwẽ Uptabi (Xavante) para designar os brancos, significa estrangeiro. Nessa roda de conversa, apresentará algumas reflexões sobre o que aprendeu em sua viagem, principalmente sobre o modo como o warazu vive, comparando e contrastando com o modo como se vive em sua aldeia, Wederã, na Terra Indígena Pimentel Barbosa, Mato Grosso.

Local: Laboratório de Antropologia/CEMAARQ [FCT/UNESP — Presidente Prudente/SP]

16/08/2018, 15h

Será possível acompanhar e participar da roda de conversa pelo link: https://meet.jit.si/Pontal 

Crédito da imagem do cartaz: Acervo Ponto de Cultura Apowẽ, registro produzido no ritual Danhono de 2011.

Chico Caminati

Professor de Antropologia e de Sociologia da FCT/UNESP (Presidente Prudente-SP). http://caminati.wiki.br

One thought to “Waro mãdö: como vivem os warazu”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *